Search
Close this search box.
aromaterapia

Aromaterapia: dicas para tornar o ambiente mais aconchegante

Os cheiros têm a capacidade de despertar nas pessoas várias sensações e lembranças. A terapia dos aromas é chamada de aromaterapia e pode ser aplicada em todos os ambientes do lar ou trabalho.

A aromaterapeuta, mentora e terapeuta integrativa, Vanessa Serafim (@vanessa.serafim_oficial) explica que “aromaterapia é a técnica terapêutica integrativa complementar, que trabalha o corpo de maneira integral-holística (saúde física, mental e emocional), através do uso de óleos essenciais 100% puros, cujas fontes vegetais foram cultivadas, colhidas e processadas de forma a preservar as substâncias químicas proposta pela planta, para auxiliar nos tratamentos de sintomas físicos, mentais, emocionais e do bem-estar geral.”

Portanto, a aromaterapia, que é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde, consiste em utilizar óleos essenciais para estimular diferentes partes do cérebro, ajudando a aliviar os sintomas da ansiedade; a fortalecer as defesas do corpo, aumentando a imunidade; a combater a insônia; a auxiliar contra a depressão, entre outros benefícios. 

Diferença entre óleo essencial e essência

A profissional explica que óleo essencial e essência são produtos bastante diferentes. 

“O óleo essencial é 100% natural, com ingredientes extraídos diretamente das plantas, frutos, flores, resinas, cascas ou goma. Por outro lado, a essência é um produto artificial, produzido em laboratório, muitas vezes derivado do petróleo”, conta Vanessa.

Uma das maiores diferenças entre os dois são os valores, pois uma embalagem de 10 ml de óleo essencial pode variar de R$ 25 a R$ 350, dependendo da planta. 

Já a essência, na mesma quantidade, pode variar de R$ 20 a R$ 50, dependendo da marca. 

A aromaterapia é bastante usada em massagens, procedimentos estéticos, na aplicação em ambientes, banhos de imersão, escalda-pés, colar aromático, etc. Mas como aplicar a aromaterapia no ambiente? 

aromaterapia

Aromaterapia no ambiente

O lar onde se vive é um espaço no qual nos conectamos com a família e amigos, contamos nossa história através dos cômodos, objetos, decoração e  praticamos alguns hobbies.

Vanessa explica que um ambiente higienizado, cheiroso e energeticamente tranquilo traz sensação de paz e se torna muito mais aconchegante, acolhedor, além de diminuir estresse, ansiedade, tensão, podendo ser um espaço mais produtivo.  

Utilizar a aromaterapia em casa e no trabalho através de sprays, difusores com varetas, umidificador, aromatizador ultrassônico ou elétrico é uma prática benéfica para os moradores e traz diversos efeitos, como melhorar e equilibrar as energias dos cômodos.

Tipos de aromas mais indicados para cada ambiente

Os aromas mais indicados para uso em casa são: lavanda, laranja, alecrim, eucalipto, melaleuca, capim-limão, menta.

Quarto: é um local de descanso, sono profundo e tranquilidade, por isso, são indicados os aromas de capim-limão e lavanda. Eles têm propriedades calmantes, proporcionando a sensação de tranquilidade e relaxamento. São óleos que contribuem para o aquietamento da mente e promovem um sono mais tranquilo. 

Banheiro: é um ambiente que requer alguns cuidados com higienização, por isso, são indicados eucalipto e melaleuca, devido às ações antisséptica e antibactericida. 

Escritório: é um local que exige atenção, foco e concentração, por isso, são indicados os óleos essenciais de menta, alecrim e capim-limão.

Sala de estar: é o local de receber as pessoas, de acolhimento e bem-estar. São indicados óleos essenciais de laranja doce, lavanda, capim-limão. Os mesmos podem ser aplicados em áreas externas, como churrasqueiras, varandas etc. 

Cozinha: local de preparo de alimentos, por isso, são indicados os óleos de canela e erva- doce, que auxiliam na digestão e trazem agilidade. 

O uso de óleos essenciais requer muito cuidado, pois é necessário respeitar os 4 pilares da aromaterapia que são:

Dosagem: inclui saber quais as proporções de cada óleo essencial dentro da proposta de tratamento, priorizando o efeito e o objetivo esperado. 

Mistura: saber quais óleos combinam entre si e quais as bases necessárias para utilização. 

Diluição: saber qual a quantidade adequada para a base escolhida e objetivo a ser atingido.

Aplicação: ter domínio da técnica para saber a periodicidade e frequência de uso. 

aromaterapia

A especialista fala que para se fazer uso de óleos essenciais tem- que ter conhecimento, e se possível consultar um aromaterapeuta, pois mesmo sendo produtos naturais, não significa que todos podem fazer um uso indiscriminado, uma vez que pode ser prejudicial à saúde. Cada pessoa é um organismo diferente, e o mesmo deve ser respeitado. 

Agora que você já sabe como aplicar os aromas em cada ambiente, que tal conhecer seu novo investimento? Visite o site da Menin e fique por dentro dos lançamentos.

Emprendimentos

Assine nossa Newsletter

Ao assinar a newsletter, declaro que conheço a Política de Privacidade e autorizo o envio de notificações por e-mail ou outros meios.

Leia também